Entenda como lidar com a burocracia na compra de imóveis

Tempo de leitura: 3 minutos

Não se pode dizer que comprar ou vender um imóvel seja um negócio simples. Independentemente da forma de pagamento — à vista ou financiado —, trata-se de uma operação que envolve valores altos e, por isso, precisa de uma série de garantias para que não haja riscos para o comprador ou para o vendedor.

Uma parte dessa garantia se materializa em documentos, certidões e atestados. Embora tome tempo e algum dinheiro, essa burocracia é importante para o sucesso de qualquer negociação para a compra de imóveis.

Sendo assim, separamos, neste post, algumas informações sobre como lidar com a burocracia na compra de imóveis. Confira!

Quem compra

Para quem vai comprar um imóvel, a primeira etapa é apresentar os documentos pessoais para permitir a análise de crédito. Isso pode ser feito na própria imobiliária. É preciso ter em mãos o RG, o CPF, os comprovantes de endereço e de renda, as cópia da declaração do imposto de renda e o certificado de estado civil.

Esses documentos servem também para a formulação do contrato de compra e venda, que conta com todas as informações sobre o imóvel, o vendedor e a forma de pagamento (à vista, financiado, etc).

Quem vende

O vendedor também precisa apresentar seus documentos pessoais e uma série de certidões que atestam que ele não tem nenhuma restrição que impeça o negócio, como dívidas tributárias ou processos pendentes. A maioria dessas certidões (de protestos, de ações cíveis e criminais, de execuções fiscais, entre outras) pode ser obtida pela internet e sem custo.

O imóvel

Também é preciso reunir uma série de documentos do imóvel. No Cartório de Registro de Imóveis, é possível solicitar a matrícula atualizada com todo o histórico do imóvel, comprovação de propriedade, etc. Esse é o documento que garante que não há restrições à comercialização da unidade.

Na prefeitura, é preciso solicitar uma certidão referente ao IPTU para verificar se o imóvel possui dívidas. Se for um condomínio, deve-se solicitar ainda uma negativa de débitos de taxas condominiais.

Taxas e impostos

A burocracia também pesa no bolso, principalmente do comprador. Especialistas indicam que esse processo pode impactar em até 12% no valor do imóvel.

Um custo certo é com o Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), um tributo municipal cuja alíquota varia de cidade para cidade. Em Campo Grande, por exemplo, o ITBI é de 2% do valor do imóvel. Muitos bancos incluem esse valor nos casos de financiamento.

O Registro de Compra obtido no Cartório é o documento que garante a transferência da propriedade do vendedor para o comprador. Sua alíquota varia de acordo com a faixa de preço do imóvel.

Essas são algumas questões burocráticas com as quais você terá que lidar na hora de comprar o seu imóvel. Para evitar que a burocracia prejudique o seu negócio, a palavra-chave é organização. Não deixe para providenciar os documentos de última hora, mas preste atenção na validade dos mesmos, já que muitas certidões precisam ser renovadas depois de 30 dias da emissão.

E lembre-se sempre que o seu corretor de imóveis pode te ajudar a avaliar exatamente qual é a documentação você deve providenciar para fechar o seu negócio.

Entendeu como lidar com a burocracia na compra de imóveis? Então aproveite e confira este artigo sobre a importância da avaliação de imóvel e como fazê-lo com eficiência!

Sobre Perez Imóveis

Ser referência no mercado imobiliário no estado de Mato Grosso do Sul é nosso objetivo. Sempre na vanguarda, trabalhamos para que você tenha a melhor experiência em comprar ou vender seus imóveis. Mas se você quiser empreender, também estamos prontos para te atender. Selecionamos terreno, método construtivo e projetos para que você tenha retorno sobre investimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *